12/03/2018 7:59 pm

Rede solidária se forma em apoio à coordenadora geral do MIQCB

Mais de uma centena de instituições encaminharam e assinaram Notas de Solidariedade à Francisca Nascimento, coordenadora geral do Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu (MIQCB). No início de março, no mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, ela sofreu uma tentativa de homicídio em São João do Arraial, no Piauí.

O ato solidário demonstrou união de todos aqueles que atuam em prol do bem viver. As instituições que apoiaram o MIQCB, assim como o próprio movimento, representam uma sociedade politicamente ativa. Atuam de maneira organizada e solidária, compartilham vivências, conhecimentos e combatem, principalmente, a desigualdade social, grande impulsionador da segregação social, cultural e econômica. Elas são responsáveis em produzir pressão direta ou indireta no corpo político de um Estado. “O MIQCB saiu fortalecido, eu sai fortalecida. Ninguém avança sozinho, precisamos uns dos outros, auxiliando-nos mutuamente. Agradeço a todos por este ato solidário”, enfatizou Francisca Nascimento.

Paralelamente à rede de apoio à coordenadora geral do MIQCB, outras duas ações solidárias foram estratégicas ao Movimento. Em Palmas, por ocasião do Dia Internacional da Mulher, representantes de mais de 15 instituições ocuparam o plenário da Assembleia Legislativa do Tocantins. Juntos lideraram um movimento para retirada da pauta da casa do Projeto de Lei 194/2017, que incentiva a queima total do coco babaçu.

Um dia antes (07), em São Luís, movimentos que lutam pela regularização fundiária em Codó (Maranhão) apoiaram a ocupação do MIQCB, no Instituto de Terras do Maranhão (Iterma). Representantes exigiram Governo do Maranhão, a retirada das cercas elétricas dos campos da Baixada Maranhense e maior celeridade na regularização fundiária do Território Sesmaria, em Matinha.

Em Brasília, também no dia 07, o Movimento recebeu outro apoio estratégico. Desta vez do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea), durante o Encontro Nacional 5ª+2. A denúncia da tentativa de homicídio da coordenadora geral do MIQCB, Francisca Nascimento, foi apresentada pela bancada maranhense à presidente do Consea, Elisabetta Recine. Na ocasião, também foi denunciado ao CONSEA

a situação das quebradeiras de coco babaçu e quilombolas do município de Matinha.

Confira a lista de instituições que assinaram Nota de Solidariedade:

  1. Cáritas Brasileira – Regional MA
  2. CIMI Maranhão
  3. CSP CONLUTAS
  4. GEDMMA/UFMA
  5. Teia dos Povos e Comunidades Tradicionais do MA
  6. NERA/UFMA
  7. Re(o)cupa
  8. Teia das Comunidades Ameaçadas da Ilha de São Luís
  9. SINASEFE Seção Monte Castelo
  10. Cáritas Brasileira – Regional Ceará
  11. Comissão Pastoral da Terra – CPT MA
  12. Grupo de Estudos sobre Geografia, Território e Sociedades, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFMA)
  13. Movimento pela Saúde dos Povos – MSP/Maranhão
  14. Centro de Defesa da Vida e dos Direitos Humanos – Carmen Bascaran
  15. PACS- Instituto Políticas Alternativas para o Cone Sul
  16. Instituto Terramar
  17. INESC – Instituto de Estudos Socioeconômicos
  18. Apruma – Seção Sindical do Andes/SN
  19. Jornal Vias de Fato
  20. Fórum Maranhense de Segurança Alimentar
  21. NEABI IFMA Campus Pinheiro
  22. Comissão Pastoral da Terra / Cerrado
  23. Grupo de Mulheres Guerreiras da Resistência do Moquibom
  24. Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional – CONSEA/MA
  25. Sintrajufe/MA
  26. Sinasefe Seção Maracanã
  27. Movimento Mulheres em Luta
  28. Quilombo Raça e Classe
  29. Quilombo Urbano
  30. Movimento de Defesa da Ilha
  31. NuRuNi/UFMA
  32. Povo Tremembé de Raposa/MA e do Engenho – São José de Ribamar/MA
  33. Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado
  34. Povo Akroá Gamella
  35. ISA – Instituto Socioambiental
  36. AJR -Associação de Jovens Rurais de Lago do Junco e Lago dos Rodrigues/MA
  37. AMTR-Associação de Mulheres Trabalhadoras Rurais
  38. COPPALJ- Cooperativa dos Pequenos e Pequenas Produtor@s Agroextrativista de Lago do Junco
  39. ASSEMA- Associação em Área de Assentamento no Estado do Maranhao;
  40. AVESOL- Associação Vencer Juntos em Economia Solidária
  41. Comissão de Direitos Humanos da OAB MA
  42. GT Mulheres da Articulação de Agroecologia do Rio de Janeiro
  43. International Women’s Space Berlin
  44. AS-PTA Assessorias e Serviços a Projetos em Agricultura Alternativa
  45. Verdejar Socioambiental
  46. Centro de Educação Multicultural Aliança pela Misericórdia
  47. Rede Carioca de Agricultura Urbana
  48. Recid Rede de Educação Cidadã (Bacabal/MA)
  49. STTR Esperantinópolis -MA
  50. Rede Justiça nos Trilhos JnT
  51. Cáritas Brasileira – Regional Piauí
  52. União Popular pelo Socialismo – Alagoas
  53. Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social
  54. Comissão Pro Índio
  55. Escola Família Agrícola Cocais – EFA Cocais/PI
  56. Centro Cocais/PI
  57. Conselho Territorial dos Cocais/PI
  58. AsCocais/PI
  59. Obra Kolping/PI
  60. STTR de São João do Arraial/PI
  61. Comissão Pastoral da Terra – CPT/PI
  62. Banco dos Cocais/PI
  63. ACESA – Associação Comunitária de Educação em Saúde e Agricultura (Bacabal/MA)
  64. Resex de Tauá-Mirim
  65. Clube de Mães e dos Agricultores Familiares do Povoado Pindoba
  66. Casa da Mulher Trabalhadora – Camtra
  67. Grupo de Pesquisa em Relações de Gênero, Sexualidade e Saúde – UFRPE/UAST
  68. STTR de Paço do Lumiar e Raposa/MA
  69. Fórum Maranhense de Mulheres assina
  70. Equipe de Justiça – Paz e Integração da Criação (JPIC) das Irmãs de São José de Chambery no Brasil
  71. Conferencia dos Religiosos (CRB) Núcleo de Balsas/MA
  72. Comissão Pastoral da Terra – CPT Araguaia e Tocantins
  73. Coletiva Feminista As Caboclas
  74. Juventude Feminista
  75. Associação de Moradores e Amigos do Bosque dos Caboclos
  76. Associação de Agricultores de Vargem Grande/MA (Agrovargem)
  77. Coletiva Hortelã
  78. Campanha em Defesa do Cerrado
  79. CAEL-Coletivo Andes em Luta
  80. Movimento Quilombola do Maranhão- MOQUIBOM
  81. CPT Marajó
  82. Terra de Direitos
  83. Justiça Global
  84. Associação de Advogados de Trabalhadores Rurais da Bahia – AATR
  85. Associação de Apoio à Criança e Adolescente – AMENCAR
  86. Coletivo Margarida Alves de Assessoria Popular
  87. Sociedade Maranhense de Direitos Humanos
  88. Movimento Nacional de Direitos Humanos
  89. Centro de Defesa dos Direitos Humanos da Serra/ES
  90. Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexos – ABGLT
  91. Comitê Brasileira de Defensoras e Defensores de Direitos Humanos
  92. Artigo 19!
  93. GEPOLIS/UFMA
  94. Laboratório de Estudos e Pesquisas sobre Espaço Agrário e Campesinato (LEPEC/UFPE)
  95. Conselho Provincial das Irmãs de São José de Chambery do Brasil
  96. Fórum de Mulheres de Imperatriz
  97. Centro de Promoção da Cidadania e Defesa dos Direitos Humanos Padre Josimo
  98. Projeto Nova Cartografia Social da Amazonia – PNCSA
  99. Associação Brasileira de Rádios Comunitárias – Abraço/MA
  100. 1100. Articulação para o Monitoramento dos Direitos Humanos no Brasil
  101. 101. Centro Gaspar Garcia de Direitos Humanos
  102. 102 Instituto de Direitos Humanos de Minas Gerais
marca do MIQCB

MIQCB

MOVIMENTO INTERESTADUAL DAS QUEBRADEIRAS DE COCO BABAÇU

Rua da Palma, nº. 489 - Centro Histórico

São Luís - Maranhão

CEP: 65010-440

Contato:

Fone: (98) 3268-3357

E-mailmiqcb@miqcb.org.br


Intranet

Copyright - Todos os direitos reservados - Desenvolvido por TODAYHOST